junho 24, 2013

Prateleiras Vazias nas Lojas de Buenos Aires


Prateleiras vazias. Isso é o que se vê nas lojas, mercados e shopping s da Argentina. O que está acontecendo? Se você está pensando em viajar à compras para Buenos Aires, leia esse artigo primeiro.







Este é o resultado da medida da presidenta Cristina Kirchner, ao congelamento de preços. A população adorou a medida, pois os preços pararam de subir (apesar de que na real, eu sempre via muita gente reclamar de que os preços estavam subindo mesmo com a medida), mas qualquer um que tenha um pouco mais de conhecimento de economia sabia que isso não ia acabar bem. Nunca funciona, o Brasil já fez isso e não funcionou, até a própria Argentina já fez isso no passado e não funcionou, e agora mais uma vez.

Mas a questão é que a presidenta toma medidas de curto prazo, para acalmar a população. E com o tempo, um curto espaço de tempo, vêm as consequências. 

No vídeo você pode ver algumas das medidas do governo Kirchner para segurar os preços. Isso foi a alguns meses atrás. Hoje a verdade é que as prateleiras estão se esvaziando. As lojas já não compram mais, porque o peso está valendo nada, o Argentino já não está comprando e os vendedores estrangeiros já quase nem querem aceitar pagamento em pesos.

Isso principalmente no setor de roupas e eletrônicos. 

Como economista volto a dar a minha opinião pessoal. Acho que já falei sobre mudar a moeda, a medida mais drástica que um país pode tomar. Mas a Argentina ainda não está tão mal, como que para mudar de moeda, então talvez o melhor a fazer seja liberar a taxa de cambio da moeda, assumir o valor real da inflação e aumentar a taxa de interesse do banco central.  


2 comentários:

  1. Me parece vendo de longe que a Argentina está um buraco que parece não ter fim, o pior é que pra sair dessa crise é um caminho árduo e lento, eu sempre tive o desejo de morar na Argentina, mas pelo jeito é melhor eu ponderar sobre isso.

    ResponderExcluir
  2. É, teho que admitier que é verdade. Vivo na Argentina e amo esse país mas realmente, para os que pensam em vir, eu diria para esperarem um pouco, ver como a economia e inflação se recupera.

    ResponderExcluir