fevereiro 07, 2013

Casando na Argentina



As informações aqui contidas são para brasileiros que querem casar com brasileiros ou outros estrangeiros na Argentina. Veja o que pode dar errado na sua documentação.





Eu sou brasileiro e casei com uma alemã, mas ambos moramos na Argentina e por isso casamos na Argentina, mas como será o processo de documentação matrimonial para dois estrangeiros vivendo no exterior?

É exatamente isso que eu gostaria de esclarecer aqui, e contar um pouco da minha história, para que outros não cometam o mesmo engano que nós cometemos com documentação.  

Se você vai casar com um argentino, o processo é bem simples, você só precisa da certidão de nascimento e de um exame de sangue, mas se você quer casar com alguém de algum outro país, ai a coisa complica um pouquinho, mas não é impossível. São bastantes documentos exigidos, e até pela documentação e profissão dos seus pais eles vão perguntar. Além de que todos os documentos precisam ser traduzidos e autenticados, o que custa uma grana.
Para saber quais documentos você precisa exatamente, recomendo que você vá até um registro civil na Argentina e pergunte lá o que precisa que eles te dão um papel com os documentos necessários. Não menciono aqui os documentos porque essas coisas mudam do dia para a noite e você pode acabar pegando informação errada, por isso melhor ir ao registro civil, você vai ter que ir lá pelo menos umas 3 vezes mesmo, não tem gente.

É basicamente isso, parece simples, mas uma vez que você está no processo, você vê que casar pode ser bem menos romântico do que você pensava. Mas se quiser tornar as coisas mais simples, peça a permissão de residência argentina, que hoje em dia sai em menos de um mês. E case-se como argentino. Muito mais fácil.

Se algum dia você pensar em se mudar da Argentina, aqui vem o problema, e foi aqui onde eu me enganei. Então nesse caso você precisa checar na embaixada do país para onde você vão, o que é preciso para o seu casamento ser reconhecido lá.

 Falando assim parece perfeito, mas comigo aconteceu o seguinte, nós lemos o site de cabo a rabo umas trezentas vezes, fomos na embaixada e no consulado umas 2 ou 3 vezes pedir informações, além de telefonar umas 10 vezes. Queríamos casar com todos os documentos perfeitos, pois íamos nos mudar e queríamos ter certeza de que não ia faltar nada para não precisarmos voltar a Buenos Aires e pagar um voo caro só por causa de um erro de documentação.

Mas mesmo todo esse sacrifício não foi suficiente. Na embaixada e consulado, nos diziam para ler o site, pois lá tem todas as informações. Quando telefonávamos, a mesma coisa. Então lemos e relemos, lemos blogs de pessoas que já estiveram na nossa situação e assim por diante, para eliminar todas as chances de erro, e quando pensamos “ok, agora temos todo o necessário”, viajamos. É claro, pagamos uma fortuna de viagem para a Europa e quando chegamos lá, descobrimos que faltava um carimbo que só pode ser carimbado na Argentina. Nem na embaixada argentina na Europa é permitido fazer isso, somente na Argentina.

É, vocês podem imaginar a minha frustação. Voltamos a ler o site mais 10 vezes e em nenhum lugar falava sobre esse tal carimbo, que se chama “apostilla”. Prestem bem atenção, aos que vão se mudar, perguntem sobre esse carimbo, para não se complicarem.

Casar com estrangeiro, no estrangeiro é assim, não é nada romântico como nos filmes. Pagamos pelo erro deles e fica por isso mesmo. Pensamos em processa-los, mas com o estresse infinito que se tem ao chegar na Europa, com os milhões de seguros, taxas, planos, registros e processos que são necessários fazer, você imagina se nós íamos querer mais uma dor de cabeça para nós.

A dica que eu deixo é, façam como eu, antes de casar, se informem o máximo possível, mas mesmo assim, vão sabendo que provavelmente ainda está faltando algo, estejam preparados.

Que sejam felizes para sempre!

Se esse post ajudou você, comente e siga o blog. Obrigado e volte sempre!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Postar um comentário